Terreiro Pai luis oxum e oxossi

Posts tagged ‘orixas’

filhos de ogum

Fisicamente, os filhos de Ogum são magros, mas com músculos e formas bem definidos. Compartilham com Exu o gosto pelas festas e conversas que não acabam e gostam de brigas. Se não fizerem a sua própria briga, compram a de seus camaradas. Sexualmente os filhos de Ogum são muito potentes; trocam constantemente de parceiros, pois possuem dificuldade de se fixar a pessoa ou lugar. São do tipo que dispensa um confortável colchão de molas para dormir no chão; gostam de pisar a terra com os pés descalços. São pessoas batalhadoras, que não medem esforços para atingir seus objetivos, são pessoas que mesmo contrariando a lógica lutam insistentemente e vencem. São pessoas extremamente pontuais e ficam enlouquecidos quando uma pessoa se atrasa ou cancela um compromisso previamente agendado seja por que motivo for. Não se prendem à riqueza, ganham hoje, gastam amanhã. Gostam mesmo é do poder, gostam de comandar, são líderes natos. Essa necessidade de estar sempre à frente pode torná-los pessoas egoístas e desagradáveis, mas nem sempre. Geralmente, os filhos de Ogum são pessoas alegres, que falam e riem alto para que todos se divirtam com suas histórias e que adoram compartilhar a sua felicidade

Oração aos Orixás

Oração aos Orixás

 

Que a irreverência e o desprendimento de Exu nos animem a não encarar as coisas da forma como elas parecem à primeira vista e sim que nós aprendemos que tudo na vida, por pior que seja, terá sempre o seu lado bom e proveitoso! Laro yê exu!

Que a tenacidade de Ogum nos inspire a viver com determinação, sem que nos intimide com pedras, espinhos e trevas. Sua espada e sua lança desobstruam nosso caminho e seu escudo nos defenda. Ogum yê meu pai!

Que o labor de Oxossi nos estimule a conquistar sucesso e fartura à custa de nosso próprio esforço. Que suas flechas caiam à nossa frente, às nossas costas, à nossa direita e à nossa esquerda, cercando-nos para que nenhum mal nos atinja. Okê arô ode!

Que as folhas de Ossanhe forneçam o bálsamo revitalizante que restaure nossas energias, mantendo nossa mente sã e corpo são. Ewe ossanhe.

Que Oxum nos dêem a serenidade para agir de forma consciente e equilibrada. Tal como suas águas doces – que seguem desbravadoras no curso de um rio, entrecortando pedras e se precipitando numa cachoeira, sem parar nem ter como voltar atrás, apenas seguindo para encontrar o mar – assim seja que nós possamos lutar por um objetivo sem arrependimentos. Ora yeyêo Oxum!

Que o arco-íris de Oxumaré transporte para o infinito nossas orações, sonhos e anseios, e que nos traga as respostas divinas, de acordo com nossos merecimento. Arroboboi Oxumaré!

Que os raios de Iansã alumiem nosso caminho e o turbilhão de seus ventos leve para longe aqueles que de nós se aproximam com o intuito de se aproveitarem de nossos fraquezas. Êpa hey oyá!

Que as pedreiras de Xangô sejam a consolidação da lei divina em nosso coração. Seu machado pese sobre nossas cabeças agindo na consciência e sua balança nos incuta o bom senso. Caô! Caô cabecilê!

Que as ondas de Iemanjá nos descarreguem, levando para as profundezas do mar sagrado as aflições do dia-a-dia, dando-nos a oportunidade de sepultar definitivamente aquilo que nos causa dor e que seu seio materno nos acolha e nos console. Odoyá Iemanjá!

Que as cabaças de Obaluaê tragam não só a cura de nossas mazelas corporais, como também ajudem nosso espírito a se despojar das vicissitudes. Atotô Obaluaê!

Que a sabedoria de Nanã nos dêem uma outra perspectiva de vida, mostrando que cada nova existência que temos, seja aqui na terra ou em outros mundos, gera a bagagem que nos dá meios para atingir a evolução, e não uma forma de punição sem fim como julgam os insensatos. Saluba Nanã!

Que a vitalidade dos Ibejis nos estimule a enfrentar os dissabores como aprendizado; que nós não percamos a pureza mesmo que, ao nosso redor, a tentação nos envolva. Que a inocência não signifique fraqueza, mas sim refinamento moral! Oni di beijada!

Que a paz de Oxalá renove nossas esperanças de que, depois de erros e acertos; tristezas e alegrias; derrotas e vitórias; chegaremos ao nosso objetivo mais nobre; aos pés de Zambi maior! Êpa babá Oxalá!
Que assim seja! Porque assim será! Porque assim o é!

 

Entidades da Umbanda

Egun é a denominação que se dá aos espíritos desencarnados, ou seja, espíritos de pessoas que já morreram. Portando, os eguns podem ser tanto os espíritos dos guias (ou entidades), que são os Caboclos, os Preto Velhos, as Crianças, as Ciganas, os Boiadeiros, os Malandros, os Exus e as Pomba Giras, como também os kiumbas.

Os guias da umbanda são mensageiros dos orixás que protegem e orientam os encarnados que por eles procuram. São espíritos iluminados que se encontram em uma faixa de vibração boa para a umbanda. De acordo com o grau de evolução de cada um, são levados a fazer parte de uma falange, ou seja, um grupo específico de espíritos, para aprenderem e evoluírem espiritualmente. Dessa forma eles permanecem, até uma possível reencarnação ou evolução para um plano superior. 

Os kiumbas são espíritos do baixo astral, verdadeiros obsessores (como chamados no espiritismo) que se aproveitam da fragilidade humana para satisfazerem seus vícios maldosos, ou até mesmo são procurados por pessoas que queiram prejudicar alguém. Eles acompanham e influenciam os encarnados por pura vontade de cometer o mal. Locais que geralmente são cercados por kiumbas são os bares e festas de baixo nível, pois se aproveitam dos vícios humanos (como vício do álcool, do cigarro, das drogas ou do sexo) para se fortalecerem e, consequentemente, enfraquecer os que desta forma se comportam.

CABOCLO

cab” width=”150″ height=”223″ align=”left” border=”5″ />

Originalmente, a palavra Caboclo refere-se à miscigenação do homem branco com índio; porém na umbanda, o termo é usado para classificar todo tipo de civilização indígena habitante de qualquer parte do planeta. Habitantes das matas, os caboclos vem com a força da natureza, cheios de humildade, sabedoria, forte portura, voz vibrante e elevação espiritual, com suas ervasmedicinais que podem curar doenças físicas e espirituais. Em alguns cultos afro-brasileiros, os caboclos são considerados seres encantados, no qual se relacionam com os espíritos da natureza, como plantas, animais etc; isto deve-se a uma crença indígena em que humanos e animais se comunicavam entre si em plena harmonia e podiam se transformar um no outro. As giras de caboclos são muito alegres e lembram bem as festas nas aldeias. Trabalham como verdadeiros conselheiros e ensinam o homem a importância da coragem e o respeito que se deve ter com o próximo e com a natureza.

PRETO VELHO

TERREIRO pai luis” width=”200″ height=”133″ align=”right” border=”5″ />

Em grande parte (mas não totalidade), os pretos velho são espíritos de negros escravos que viveram durante o Brasil Colônia. Nesta época, em que os escravos sofriam humilhações e trabalhavam de sol a sol por um pedaço de pão, eles reagiam fugindo e formando quilombos, tirando a própria vida, ou até mesmo assassinando seus senhores e proprietários. A “macumba”, com seus batuques e danças, era um rito de protesto e liberdade. Após anos de sofrimento, a missão destes seres de luz ainda não estava cumprida. Não tem ódio pela humilhação que sofreram no passado; por isso hoje retornam, para evoluírem espiritualmente e auxiliarem, com extrema humildade e carinho, aqueles que buscam ajuda.

CRIANÇA (ERÊ)

cosmes width=”150″ height=”100″ align=”left” border=”5″ />Também chamadas de Ibejis ou Ibeijada, as crianças são a alegria contagiante da umbanda. São espíritos que, na última vida, desencarnaram ainda muito novos, mantendo assim as suas características, então eles brincam, aprontam, gostam que lhe contem histórias infantis e adoram doces e guloseimas, ou seja, agem como crianças. Muito respeitadas, elas representam a pureza e a inocência, porém não são tolas e identificam muito bem as falhas humanas, orientando e atuando em casos familiares e de gravidez, principalmente.

EXU E POMBA GIRA

exu-na-umbanda”  />

Por ignorância e preconceito de muitas pessoas, os Exus são mal interpretados e associados ao demônio cristão, considerados maus ou compráveis, ou seja, que realizam trabalhos para o mal em troca de ofertas. O que acontece, é que os espíritos baixos,kiumbas, através de médiuns despreparados ou perturbados mental e espiritualmente, realizam tais trabalhos malignos contra os encarnados, e assim o fazem se passando por Exus, confundindo as pessoas sem conhecimento e contribuindo para tal erro. 

Com suas cartolas, capas (no caso dos exus masculinos), saias rodadas e adornos (no caso dos exus femininos, as pomba giras), os verdadeiros exus não fazem mal a ninguém; apenas executam a lei da justiça, ou seja, dá o bem a quem pede o bem e devolve o mal a quem o pediu. Por atuarem em vibrações muito próximas ao Planeta Terra, são espíritos que conhecem profundamente as paixões humanas e, por este motivo, estão em um estágio evolutivo inferior ao dos caboclos e pretos velhos, por exemplo; não por serem inferiores, mas por possuírem uma energia muito densa e de maior proximidade à Terra.

Muitos não gostam de trabalhar com Exus, pois dizem que eles não atendem seus pedidos. A verdade é que Exu não dá o que se pede, e sim o que se merece, sempre de acordo com a Lei Cármica. O maior elo entre os homens e os orixás, são verdadeiros guardiões dos caminhos e soldados na luta contra o mal. Algumas das correntes dos Exus são:

  • Exu Tranca Rua;

  • Exu Caveira;

  • Exu Sete Encruzilhadas;

  • Exu Meia-noite;

  • Exu Gira Mundo;

  • Maria Mulambo;

  • Pomba Gira Rainha.

Gallery

orixas de umbanda

xango sr omolu

oxala

oxala

Iansaandreia ogum 0 Nana OXÓSSI-2 OBA oxumare IEMANJÁ1