Terreiro Pai luis oxum e oxossi

Archive for the ‘Letras e pontos’ Category

Hino Da Umbanda

Hino Da Umbanda

orixas de umbanda

umbanda

Refletiu a luz divina

com todo seu esplendor

é do reino de Oxalá
Onde há paz e amor
Luz que refletiu na terra
Luz que refletiu no mar
Luz que veio, de Aruanda
Para todos iluminar
A Umbanda é paz e amor
É um mundo cheio de luz
É a força que nos dá vida
e a grandeza nos conduz.
Avante filhos de fé,
Como a nossa lei não há,
Levando ao mundo inteiro
A Bandeira de Oxalá !
Levando ao mundo inteiro
A Bandeira de Oxalá !

Cosme e Damião Cade Doun

Cosme e Damião

Cosme e Damião,
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Cosme e Damião,
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá

Cosme e Damião,
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Cosme e Damião,
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá

PRETO-VELHO

preto velho

preto velho

 

PRETO-VELHO

 

Um galhinho de arruda

A vovó me deu

Um galhinho de arruda

Pra me proteger

Eu agradeço a essa linda Preta Velha

Um galhinho de arruda

Ela me ofereceu

Eu agradeço a essa linda Preta Velha

Pois em suas orações

Ela nunca me esqueceu

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Preto Velho

Vem de Minas

Caminhou o ano inteiro

Carregou sete calungas

Para salvar o Terreiro

Ê ê ê ê

Ê ê ê a

A banda é boa

Banda de Minas Gerais

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Benedito é Preto, calunga

Eu também sou Preto, calunga

Ora viva os Pretos, calunga

Eu também sou Preto, calunga

A minha Terra é de Preto, calunga

Eu também sou Preto, calunga

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Sou Preto, sou Preto,

Sou Preto só na cor

Na alma, na alma

Sou filho de Nosso Senhor

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

A fumaça do cachimbo da vovó

Sobe bem alto

Só não ver quem não quer

O cachimbo da vovó tem mironga

Na barra da saia

Na sola do pé

 

Mamae oxum

mamae oxum

mamae oxum

 

OXUM

 

Eu vi  mamãe Oxum, 

Na cachoeira,

Sentada na beira do rio,

Colhendo lírio, lírio, e,

Colhendo lírio, lírio, a,

Colhendo lírio,

Pra enfeitar nosso congá

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Lá vem os barqueiros,

De Cinda,

Cinda é quem vem navegar,

Cinda é mamãe Oxum,

Aieie Oxum,

Cinda é das ondas do mar.

 

 —————————————–

Olha ê ê Minha mãe Oxum

É na cachoeira

É dona dos rios Minha mãe Oxum

É na cachoeira

É das águas correntes

minha mãe Oxum

É na cachoeira

É na cachoeira que eu vou lhe encontrar

Minha mãe Oxum

É na cachoeira

Seus colares dourados

É na cachoeira

E uma rosa de ouro eu vou lhe entregar

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Quem manda na cachoeira é Oxum

Quem tem tantos filhos pode ter mais  um – bis

Firma ponto filho de fé

Bate a cabeça no congá

Sarava Mamãe Oxum

E o nosso Orixalá

———————————

Ponto de Proteção

Eu sou da mina

Eu sou da mina de ouro – bis

Onde mora mamãe Oxum

Guardiã do meu tesouro

Mamãe Oxum rainha cheia de luz

Cubrai-nos com vosso manto

Rogai por nós a Jesus – bis.

Pontos de OXÓSSI

terreiro pai luis , oxssi

OXOSSI

GUERREIRO DA MATA

 

Sou filho do Vento da Mata,

Do Vento que vem e que vai,

Oçanhe me olhe e me ajude,

Oxóssi que é o meu Pai.

Guerreiro da Mata eu sou,

A vida me ensina a viver,

Sou filho do Vento da Mata,

Coragem, se tens, vem me ver.

Sou filho do Vento da Mata…

A lança que eu trago, eu fiz,

Meu arco não atira, em vão,

Na mata, onde eu sou feliz,

Levo sempre um escudo na mão.

Sou filho do Vento da Mata…

Guerreiro de Tribo Valente,

A brisa da mata é meu ser,

Coragem eu trago na frente,

Que Oxóssi me dá, pra vencer.

Sou filho do Vento da Mata…

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

O LÍRIO DO CABOCLO

O lírio, o lírio ê, o lírio, o lírio ê,

O lírio, o lírio ê, o lírio. (bis)

O lírio é uma flor tão linda,

Que enfeita o Juremá. (bis)

Seu Serra Negra apanhou,

O seu bodoque e a sua flecha,

Sua ema foi caçar. (bis)

Atravessou toda a floresta,

Numa noite de luar. (bis)

O lírio, o lírio ê, o lírio, o lírio ê, o lírio, o lírio ê, o lírio. (bis)

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 Quem mora na mata é Oxóssi,

Oxóssi é caçador,

Oxóssi é caçador.

Eu vi meu pai assobiar,

Eu mandei chamar.

Vem da Aruanda ê,

Vem da Aruanda a,

Pai Pena Branca,

Vem da Aruanda,

Vem na Umbanda.

Atoto Obaluaê

Atoto Obaluaê

meu pai oxala é o rei venha me vale
no velho omulu atoto baluae
Atoto Obaluaê
Atoto baba
Atoto Obaluaê
Atotô é Orixá
Se ver um velho no caminho
Oi pede a benção
Se ver um velho no caminho
Oi pede a benção
Benção de Deus
Benção de pai
Bençãode Deus
Atoto Obaluaê
Atoto baba
Atoto Obaluaê
Atotô é Orixá

Meu Pai Oxalá

oxala

Meu Pai Oxalá

É o rei do mundo inteiro

Meu pai Oxalá é o dono do terreiro

quando quer falar com ele

ele não tar-da a chegar quem quizer falar com ele

fala em qualquer lugar

Meu Pai Oxalá

É o rei do mundo inteiro

Meu pai Oxalá é o dono do terreiro(2x)